Header

História

Desde pequena que sempre adorei ir a casamentos, e porquê? Por causa do bolo de noiva, pois claro! Sempre que era o momento dos noivos cortarem o bolo era uma festa para mim, porque eu adorava sentir aquela mistura de sabores que eu desconhecia, o bolo com creme mais a cobertura de pasta de açúcar. Um dia perguntei à minha mãe (que é a melhor cozinheira do mundo, diga-se de passagem!) o que era aquela “pasta” e ela só me disse que era massapão mas não sabia como se fazia.

Lá em casa os bolos de aniversário sempre foram o típico pão-de-ló, creme de ovo e raspas de chocolate ou amêndoa picada à volta, que se encomendava de véspera numa pastelaria lá da zona. Mas um dia, não há muito tempo, eu decidi que não queria gastar dinheiro no meu bolo do 23º aniversário, e vai daí, comecei a pesquisar na internet como se fazia a tão afamada massapão. Encontrei algumas receitas, inclusive experimentei uma, mas a coisa não correu bem. Não que não tenha ficado bem! Até ficou ótima. Mas o sabor…não era igual àquele que eu estava costumada a comer nos bolos de casamento.

E continuei a pesquisa incessante de outras formas de criar aquela pasta de açúcar dos meus paladares festivos de criança, até que esbarrei com a típica pasta de açúcar, longe de imaginar o que era o cake design. Encontrei-a numa loja em Lisboa, o Isto Faz-se, e resolvi experimentar. Fiz um bolo chiffon de chocolate, barrei com ganache e cobri com pasta de açúcar branca, decorei com uns malmequeres, et voilá, o meu bolo de aniversário estava pronto!

Ainda hoje guardo fotos desse primeiro bolo, com um ar desajeitado e simples, mas foi esse mesmo bolo que me fez descobrir que afinal eu até tinha jeito para a coisa. Daí até descobrir o que era o cake design e de começar a criar pequenas obras de arte, e posteriormente fazer formação na área foi um saltinho!

O Isto Faz-se não foi só a primeira loja com que contactei para o meu primeiro bolo decorado, mas acabou por se tornar na minha escola de eleição. Foi lá que eu fiz a minha formação básica: os três cursos de PME, e fiz também alguns workshops com a Debbie Brown. Mais tarde, resolvi aprender mais e aprofundar conhecimentos, e fiz um curso de pastelaria na CFPSA, em Lisboa. Foi uma experiência única, e ainda continua a ser! Afinal, o cake design não é uma área estática, é necessário manter-me atualizada para poder adquirir mais conhecimento através de outras experiências, e com isso proporcionar momentos únicos aos meus clientes, porque eles merecem!

Em cada bolo, cada bolacha, cada doce que faço, não coloco só aquilo que aprendi em prática mas também coloco amor e dedicação porque cada bolo é um bolo, irrepetível, único, especial. Costumo dizer que os bolos são como “filhos” para mim: geram-se na minha imaginação, crescem no forno e desenvolvem-se nas minhas mãos. No fim seguem o seu caminho, para fazer sonhar outra imaginações e adoçar outros corações.

Para mim, o cake design é a arte de fazer amor com a mente e concretizar todo esse amor com as mãos, na certeza que nele a magia acontece e os sonhos realizam-se!